Busca:
 
Artigo
 
Artigo: A verdadeira crise não está em Wall Street
Área: Relações internacionais
Autor(es): Patricia do Rego Avena | | | | | | | | |
 

Em setembro deste ano, há apenas um mês, os principais chefes de Estado estavam reunidos na Assembléia Geral da ONU para discutirem, dentre outros assuntos, o cumprimento das Metas de Desenvolvimento do Milênio.
É claro que este tema, de máxima importância, ficou completamente ofuscado pela crise financeira global e foi aproveitando esta “distração”, que a França, o Canadá e a Itália se posicionaram verdadeiramente quanto aos seus comprometimentos com a pobreza mundial.
Os presidentes Sarkozi da França, Harper do Canadá e Berlusconi da Itália, já haviam prometido no encontro do G8, contribuir com 0,7% do seu PIB para combater a pobreza. Agora, aproveitando-se do fato da mídia estar inteiramente focada na crise de Wall Street, diminuem o valor prometido para este fim, talvez pelo simples fato de que 99,3% dos seus PIB não sejam suficientes para manter a estabilidade de suas ricas nações, tão fragilizadas com a possibilidade de um futuro incerto, pós crise.
O combate à pobreza é talvez um dos maiores desafios dos nossos tempos, e cada vez mais nos distanciamos desta questão, atropelados por um sistema capitalista que acaba regendo uma grande orquestra de instrumentos anacrônicos e individuais, cada um tocando para si mesmos, sem escutar em momento algum os sons que vem dos seus vizinhos. O resultado final dessa orquestra é um som idiossincrático, que não é belo e fere aos ouvidos mais sensíveis.
A erradicação da pobreza não é uma tarefa fácil, porém foi dado um grande passo quando se definiram as Metas de Desenvolvimento do Milênio(MDM), que surgiram da Declaração do Milênio das Nações Unidas, adotada pelos 189 Estados Membros no dia 8 de setembro de 2000.
 
Outras Informações:
RiansiDesign